domingo, 19 de dezembro de 2010

O SILÊNCIO NATALINO


O SILÊNCIO NATALINO

“Onde tu estavas Deus naqueles dias? Por que ficou em silêncio? Como pôde permitir esse massacre sem fim, esse triunfo do mal?” (papa Bento XVI em visita à Auschwitz fazendo uma prece que surpreendeu a muitos).

“Nossa maioridade nos conduz a um verdadeiro reconhecimento de nossa situação diante de Deus. Deus quer que saibamos que devemos viver como quem administra sua vida sem ele. O Deus que está conosco é aquele que deserta de nós. O Deus que nos permite viver no mundo sem a hipótese funcional de Deus é aquele diante do qual permanecemos continuamente. Diante de Deus e com Deus, vivemos sem ele.

[...] Deus é fraco e sem poder neste mundo, e essa é precisamente a maneira, a única maneira pela qual ele está conosco para nos ajudar.” (Dietrich Bonhoeffer preso por oposição ao regime nazista. Cartas da Prisão).

"Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?" (Mateus 27, 46), fazendo eco: "Meu Deus, eu grito de dia e não me respondes; de noite, e nunca tenho descanso." (Salmo 22).

Natal é ocasião de comemoração, alegria, comoção, grande aflição, afinal o “Salvador do Mundo nasceu”.

Manjedoura ou casa, inverno ou verão, pobre ou rico, feio ou bonito, Messias ou vítima, Deus ou homem, milagreiro ou mensageiro, ressuscitado ou morto. Não importa!

Importa é saber que suas palavras foram as mais sinceras que um homem já proferiu.

Importa é saber que despido da messianidade judaica se apresentava um homem bom e justo.

Importa é saber que alijado da roupagem escatológica se apresentava um homem integro e reto.

Importa é saber que desassociado da figura davídica se apresentava um rei de humildade e bondade.

Importa é saber que destituído da divindade bíblica se apresentava um santo homem.

Importa é saber que despojado do cristo milagreiro se apresentava um curador de almas.

Importa é saber que abandonado Todo-Poder se apresentava um Jesus sofredor.

O que passa disso é duvidoso.

Jesus sofreu muito antes do Calvário, as feridas em sua alma já eram crônicas pela descrença de sua mãe e seus irmãos, que os Evangelhos insistem em proclamar como sendo uma concepção do Espírito Santo, se assim for como acreditam os autores bíblicos, então Maria se constitui numa das maiores incrédulas de todo Evangelho, pois nem ela nem os seus filhos, irmãos de Jesus, criam Nele como o Filho de Deus, e até o tinham como louco.

Jesus sofreu muito antes do Calvário por uma humanidade desumana e sem alma. Ele foi abandonado por todos. O máximo que seus “amigos e discípulos” (as) fizeram foi observar de longe mais um terrível espetáculo de sangue.

Jesus sofreu no corpo e na alma a dor dos famintos, despidos, desprezados, humilhados, desgraçados, desempregados, mutilados, enlutados, enfermados, injustiçados.

Ele bradou em alta voz do alto de uma maldita cruz: "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?"

E recebeu como resposta, apenas um interminável silêncio.

O que passa disso é duvidoso.

Nesta noite de Natal separe 1 minuto, apenas um minuto para ficar em silêncio, mesmo estando tudo bem em sua casa, Silencie! Em respeito aos desesperados.

Nesta noite de Natal separe 1 minuto, apenas um minuto para ficar em silêncio, mesmo estando tudo mal em sua casa, Silencie! Divida sua amargura com o Senhor Jesus, o Pastor das almas feridas.

MESMO ASSIM, FELIZ NATAL E PRÓSPERO 2009
PARA TODOS OS MEUS AMIGOS!
Humberto

Nenhum comentário: