terça-feira, 23 de novembro de 2010

Judeus e Hebreus ou Hebreus e Judeus?

Os judeus, os hebreus e os israelitas

Introdução:

De acordo com a enciclopédia Judaica 96% de todos os judeus atualmente conhecidos no mundo são descendentes das tribos dos Khazars da Russia, Leste Europeu e Mongolia; esses são os judeus asquenazis, a outra maior sequencia de judeus são os sefardins e eles são uma mistura de canaanitas, Hititas, Amoritas, Peresitas, Hivitas, Jebusitas, Girgasitas, kenitas, Edomitas e de alguns verdadeiros israelitas. Esses judeus nunca foram, não são atualmente israelitas e nunca serão israelitas..
Encyclopedia Americana (1985):

“Asquenazis; Asquenazis são os judeus os quais os seus antepassados viveram na Alemanha… E entre os judeus asquenazis que surgiu a idéia do sionismo politico, levando ultimamente ao estabelecimento do Estado de Israel… Mais tardar pelo final de 1960 os judeus asquenazis numeravam alguns 11 milhões… por volta de 84 percento da população judaica mundial.” The Jewish Encyclopedia: ( A Enciclopédia Judaica)

“Khazars, uma organização não-semita, asiática, uma nação mongol tribal que emigrou para a Europa Oriental por volta do primeiro século, e que por volta do século VII, converteu-se por inteira ao judaísmo. A população Khazar foi absorvida por inteiro através da expansão Russa, e contou com a presença no leste europeu de um grande número de judeus de língua iídiche (Rússia, Polónia, Lituânia, Galácia, Besserabia e Romênia)Khazar: Ashkenazi Modern Jew (Khazar. Os modernos judeus asquenazis)

The Encyclopedia Judaica (1972): The Universal Jewish Encyclopedia: The Universal Jewish Encyclopedia: (A encyclopedia judaica universal)

“Khazars, … um grupo nacional de turcos em geral, independente e soberano na Europa Oriental entre os séculos VII e X dC Durante parte deste tempo a liderança Khazars eram professos do judaísmo ... Apesar de a informação insignificante de carácter arqueológico, a presença de grupos judeus e o impacto das idéias judaicas na Europa Oriental eram consideráveis durante a Idade Média. Grupos têm sido apontados como migrantes do Leste para a Europa Central e têm sido freqüentemente referido como Khazars, tornando assim impossível ignorar a possibilidade de que se originaram a partir do antigo império Khazar …”The Universal Jewish Encyclopedia: (A encyclopedia judaica universal)”

O significado primário de.. Asquenaz e Asquenazim em hebraico é .. Alemanha e alemães...Isto pode ser devido ao fato de que o lar de seus ancestrais alemães é Media, que é a Asquenaz citada na biblia ... Krauss é de opinião que, na idade medieval os khazares eram as vezes referido como Asquenazis ... Cerca de 92 por cento dos todos os judeus, ou aproximadamente 14,5 milhões são de origem asquenazis

"A biblia relata que os judeus Khazares (Asquenazis) eram… são os filhos de Jafé e não de Sem.(Shem):
“Estas são as gerações dos filhos de Noé, Shem e Jafé:….. Os filhos de Jafé… Os filhos de Gomer, Asquenaz …” (Genesis 10:1-3)
New Standard Jewish Encyclopedia, pagina 179,[GCP pg 68]

“ASQUENAZ, ASQUENAZIS… constituíam antes de 1963 cerca de nove? décimos do povo judeu (cerca de 15 milhões de um total de 16,5000,000) [a partir de 1968 é considerado por algumas autoridades judaicas estar próximo dos 100%]The Outline of History: H. G. Wells,

“É altamente provável que a maior parte dos ancestrais dos judeus "nunca" viveu na Palestina "de uma modo geral".

Sob o título " Termos para judeu" no Almanaque judaico de 1980 lemos o seguinte: "A rigor, é incorreto chamar um ancestral israelita de judeu 'ou chamar um judeu contemporâneo de israelita ou hebreu. "(1980 Almanaque judaica, p. 3)

Africa, Africa....continente africano, representada por 53 países, culturas diversificadas, por lá passaram e viveram grandes personagens da história biblica assim como... Moisés, Abraham, e mesmo Yahoshua o nosso Messiyah...

Africa era conhecida pelos seus ancestrais como Akebu-lan (berço da humanidade) terra-mãe ou jardim do Edén.

Mas o que realmente sabemos sobre este Continente?
A maioria dos “chamados escritores sobre a Africa” não nos relatam boas noticias sobre este continente, talvez pelo fato desses amadores, não terem um contacto direto com a população, grande maioria deles já chegam ao continente, “ temerosos de doenças”, ‘escoltados, ‘tirando fotos de jatinhos, sem nenhum ou muito pouco contacto com os seus habitantes, e depois os livros , as matérias que eles escrevem são quase todas baseeadas em teses, “o que eles ouviram dizer”, mas a maioria não tem sequer noção do que realmente acontece por lá, são livros de .. eu ouvir falar, me contaram... etc...

eu mesma desde a minha infancia só ouvia falar de mazelas, fomes, destruição, doenças, epidemias, são poucos os que realmente nos trouxeram algum tipo de informação positiva sobre este continente, mas será que não existe nenhuma boa noticia originária deste solo?

Isto é o que vamos aprender com alguém que viveu lado a lado com os habitantes deste Continente, esse escritor de abençoada memoria, penetrou no profundo deste solo e foi sensivel ao perceber que africa não é o que costumamos ouvir de alguns malfeitores que os costumam taxar de animistas, canibais, desalmados, politeistas, sim eu também fiquei surpresa ao perceber as palavras de Joseph Williams ao relatar em seu livro Hebrewism of west africa, que os africanos ao contrário do que a maioria pensa não são politeistas, e sim monoteistas.]

Segundo estudos desse mesmo autor que viveu lado a lado com diversas camadas da sociedade africana ele percebeu que os africanos de uma maneira geral creem em um único Ser Surpremo e este ser vive rodeados de entidades subalternas que estão a seu dispor no que diz aos cuidados da natureza e que eles geralmente costumam prestar algum tipo de honra a essas entidades, mas eles só reconhecem um unico ser Supremo o Criador, que segundo a descrição deles é o próprio YAH.

Para mim também foi uma surpresa ao ler o relato de que foram os cristãos missionários que forçaram a eles a a doutrina da trindade (Deus pai, deus filho e deus espirito), até então desconhecida entre eles e até hoje muitos dos africanos tem dificuldade de entender já que nem mesmo os cristãos conseguem entender e explicar essa doutrina tão confusa. Eles forçam aos africanos entenderem algo que nem eles mesmos conseguem entendem.

Um bom livro para melhor entendimento sobre o que realmente o cristianismo é baseado, a origem de suas raízes e tradições é o livro: Fossilized Customs escrito por Lee white... http://www.fossilizedcustoms.com/
e também o livro As duas babilonias de A.Hislop.

Abaixo algumas narrativas retiradas do próprio livro HEBREWISM OF WEST AFRICA do escritor Joseph Williams *Hebrewismo da africa Ocidental*

Eu estou convecido de que o conceito na mente dos ashantis, de um único Ser Supremo, não tem nada a ver com a influencia dos missionãrios, e nem pode ser concebida pelo contacto com os cristaos nem com os muçulmanos” ... E mais uma vez: “O conceito desse Ser Supremo que foi imbutido na mente dos ashantis de uma maneira geral é descrito ao YHWH dos israelitas.. Pag. 72....
“Conversei com diversos negros de diversos niveis e em diversas situações, sobre o conceito da fé deles, e posso dizer sem a menor sombra de dúvida, que a crença em um único Ser Supremo, e um estágio futuro de recompensas e punições é universal entre eles. Pág.345

Westerman em seu livro..Os conceitos de Deus encontrados na africa ocidental diz: Os negros creem que há um unico Ser Supremo e que este Ser vive rodeado de entidades subalternas que zelam pela natureza e pelo bem estar da humanidae , cada um tem a sua respectiva função.

“...R.E. Dennett, rejeita também por completo a idéia de que os negros se desenvolveram gradualmente de um estado de fetichismo ou qualquer outro conceito do Criador somente nos dias atuais. Muito pelo contrário, ele é da opinião de que “ os negros de uma forma geral não perderam o conhecimento de um único Ser Supremo o qual ao longo dos tempos herdaram de seus antepassados”. E ele acrescenta” Pelos estudos que tenho feito aos longos dos tempos... essa superstição chamada fetichismo f de certa forma, cresceu imposta sobre o puro conhecimento que eles certamente possuiam. Pág.349

J.Williams diz....“Portanto, nós concluimos que , o Ser Supremo não só dos Ashantis e de suas tribos aliadas, mas sim o mais provavelmente de toda a terra dos negros de uma forma em geral, não é o mesmo Deus dos cristãos, o qual comparado a dados recentes, foi sobreposta à várias crenças tribais pelos ministros do evangelho: Mas, sim o YAHweh dos hebreus e também dos hebreus do periodo pré- exilio, que suplantou o conceito anterior de divindade na mente da Africa (Um unico Ser Supremo) ou então clarificou e definou a idéia monoteistica original que pode ter estado adormecida durante muitos séculos, ou mesmo talvez tenha sido enterrada por um tempo em uma confusão inexplicavél do politeismo e da superstição . Pág.355

Há várias pessoas que nunca ouviram falar nos hebreus africanos, não tem sequer conhecimento de que foi na Africa que toda a história dos hebreus teve inicio, as escrituras nos relatam várias vezes que os filhos de Israel desciam ao Egito, e novamente subiam para Israel, era um sobe e desce sem fim, Yahoshua também esteve no Egito quando ainda criança com a sua mãe e José, quantos dias será que dura essa jornada de Israel ao Egito?Segundo alguns escritores uma jornada de Israel ao Egito durava em torno de 10 a 14 dias a pés, Israel é o vizinho do Egito, raramente lemos que eles atravessavam de Israel para o Egito de animais ou carros, a maior parte da jornada era feita a pé, será que agora vc conseguiu acordar que Egito é no norte da Africa e que israel era tão pertinho do Egito que dava pra ir a pé?ou seja nos tempos biblicos Egito era uma extensão de Israel, Gen, 15.13 nos diz que Egito é parte da terra de Israel, e agora? Será que nossos antepassados hebreus estiveram o tempo todo na Africa? Tirando os exilios é claro? Sem a construção do Canal de Suez em 1867 podemos afirmar que Israel e Egito era uma massa continua de terra.

Abaixo algumas poucas refencias de alguns hebreus da Africa, a maioria deles ainda é taxado de judeus negros pelos escritores, pois os nossos oprossores se recusam a reconhecer a verdade e porisso tive que fazer algumas adaptações dos textos retirados da Wikipedia

Os hebreus da Africa ...Wikipedia (parcial)....

Desde os tempos bíblicos, o povo hebreu tinha laços estreitos com a África, começando com a jornada de Abraão no Egito, e depois do cativeiro israelita sob os Faraós. Algumas comunidades israelitas na África estão entre as mais antigas do mundo, datando de mais de 2700 anos. Os hebrus africanos têm a diversidade étnica e religiosa e riqueza. As comunidades hebraicas africanas incluem:

* Grupos de africanos dispersos que não têm mantido contato com a comunidade judaica desde os tempos antigos, mas que afirmam serem descendentes do antigo Israel ou mantém outras conexões com o judaísmo. Estes incluem:

Grupos como o dos Lemba, muitos dos quais praticam o cristianismo, mas tem preservado alguns rituais e costumes acredita-se ser de origem hebraica. Neste grupo também foi encontrado traços genéticos relacionados aos hebreus biblicos, reforçando assim, suas reivindicações de ascendência hebraica.Embora nem todos os hebreus Africanos são praticantes do hebrewismo, a maioria das práticas encontradas nas comunidades hebraicas africanas são de origem judaicas ortodoxas.

* Comunidades hebraicas antigas

As comunidades mais antigas de hebreus Africano conhecido no mundo ocidental são a dos hebreus etíopes,.

Desconhecidos no Ocidente até bem pouco tempo as comunidades dos hebreus africanos como, Lemba (Malawi, Zimbabwe, África do Sul e do Norte). Alguns entre os ibo da Nigéria, o Annang / Efik / Ibibio de Akwa Ibom e Cross River Estado da Nigéria, Camarões e Guiné Equatorial)

Na Etiopia:

Há os hebreus etiopes e também a comunidade Beit Avraham

Na Etiópia, a comunidade conhecida como Beit Avraham tem cerca de 50.000 membros. Esta comunidade também reivindica a herança hebraica. Diversos estudiosos acreditam que eles se separaram da comunidade Beta Israel há vários séculos, aonde quase extinguiu ou ficou oculto os seus costumes hebraicos, e exteriormente adoptaram o cristianismo Ortodoxo Etiope.

Além disso, alguns migraram para a área longe do domínio muçulmano no norte da África.

Lemba

Os Lemba são um povo hebreu no sul da África. Embora eles falam línguas Bantu similar aos seus vizinhos, eles têm práticas religiosas específicas semelhantes aos do judaísmo e de outras tradições semitas. Eles também têm uma tradição de ser um povo migrante, com pistas que apontam para uma origem de hebreus iemenitas.

Eles têm restrições sobre o casamento com os não-Lemba. É difícil para os homens não-Lemba se tornar parte da comunidade. Um número significativo de indivíduos carregam uma assinatura genética do cromossomo Y conhecido como o haplótipo Cohen modal, indicativo de uma ancestralidade semítica patrilinear. Esta característica do cromossoma Y é particularmente associada com os Cohanim ou sacerdotes, um subgrupo distinto dos israelitas.

Os hebreus ibo da Nigéria é um dos componentes do grupo étnico ibo. Dizem que migraram da Síria, da Líbia e os israelitas Português na África Ocidental. Os registros históricos mostram que essa migração começou cerca de 740 dC.

De acordo com Nair (1975), no início da história da Nigéria, o povo Efik (pessoas de idade Calabar Unido foram muitas vezes referida como Efik Eburutu. Eburutu sendo um termo que surgiu como resultado da currupção da palavra hebraica " e Ututu. Ututu sendo um dos primeiros povoados do povo Efik no litoral sudeste da Nigéria. Portanto, o Efik / Ibibio / Annang eram grupos de pessoas conhecidas na pré-história como sendo de origem hebraica que se estabeleceram em Ututu.

Missionários europeus que chegaram em suas terras no início de 1400 AD chamaram suas práticas religiosas de "tradicionais". No entanto, eles identificam as suas práticas religiosas e patrimônio com os hebreus. Acredita-se que sejam membros do Reino do Norte de Israel, que saiu antes do cativeiro da Babilônia e migrou para o Efik / Ibibio terra Annang / da Nigéria, do Egito, através da Etiópia e Sudão. Eles têm sinagogas ativas na área. serviços Sinagoga (Shabbat Services) da região da Nigéria, pode ser visto na internet, e no canal do YouTube.

Camarões

Os créditos de uma presença Hebraica nos Camarões são feitos pelo rabino Yisrael Oriel. Rabino Oriel, ex-Bodol Ngimbus, nasceu na tribo Ba-Saa. A palavra Ba-Saa, disse ele, vem do hebraico para "uma viagem" e significa bênção. Rabino Oriel alega ser um levita descendente de Moisés.

Rabino Oriel afirma que em 1920 havia 400 mil 'Israelites' em Camarões, mas por volta de 1962 o número baixou para 167 mil, devido à conversão ao cristianismo e ao islamismo..

O maior influxo de hebreus para a África veio depois da Inquisição espanhola e expulsão dos hebreus da Espanha em 1492, e Portugal e na Sicília logo em seguida. Muitos desses hebreus se estabeleceram no norte da África.

São Tomé e Príncipe

Além disso, o rei D. Manuel I de Portugal exilou cerca de 2.000 crianças hebreias para São Tomé e Príncipe, por volta de 1500. A maioria morreu, mas no início dos anos 1600 ", o bispo local notou com desgosto que ainda havia observâncias hebraicas na ilha e retornou a Portugal por causa de sua frustração com eles." Embora as práticas hebraicas desapareceu ao longo dos séculos seguintes, há pessoas em São Tomé e Príncipe que estão cientes da queda parcial desta população.

Mali

Existem milhares de pessoas de inegável ascendência hebraica em Timbuktu, Mali. No século 14 muitas mouros e hebreus, fugindo da perseguição na Espanha, migraram para o sul para a área de Timbuktu, em que parte do tempo do império Songhai. Askia Muhammed chegou ao poder na região anteriormente tolerante de Timbuktu e decretou que os hebreus deveriam se converter ao islamismo ou seriam mortos; Hebreísmo tornou-se ilegal em Mali, assim como na Espanha católica no mesmo ano. Como disse o historiador Leo Africanus em 1526: "O rei (Askia) é um inimigo declarado dos hebreus.

Costa do Marfim

Existe uma comunidade extremamente pequena de hebreus na Côte d'Ivoire. Na história, a maioria dos hebreus da Côte d'Ivoire emigraram para as proximidades de Ghana e se instalaram lá.

Ghana

A Casa de Israel comunidade de Sefwi Wiawso afirmam que seus antepassados são descendentes de hebreus que migraram para o sul através da Côte d'Ivoire. A prática do hebrewísmo na comunidade, no entanto, remonta apenas ao início dos anos 1970.

Quénia

Uma comunidade emergente relativamente pequeno vem se formando no districto de Laikipia , Kenya, abandonando suas crenças cristãs em troca do hebrewísmo. Atualmente existem cerca de 5.000 praticantes do hebrewismo . Este grupo tem ligações com o movimento dos Hebreus israelitas. Existem também alguns entre os grupos étnicos no Quênia que alegam serem parte de uma das tribos perdidas de Israel .

Nigéria

Além das comunidades hebraica estabelecida na Nigéria descrito acima, outras comunidades messianicas estão se formando.

Uganda

Os hebreus abayudaya de Uganda são um grupo que abraçou com entusiasmo o hebrewísmo em tempos relativamente recentes, datando apenas de 1917.

Zimbabwe

Os hebreus de Rusape, antiga reivindicação Zimbabwe conexões hebraico tribais, na verdade, eles afirmam que a maioria dos negros africanos (especialmente os povos bantu) são realmente de origem hebraica antiga. No entanto, a prática ativa do hebrewísmo na comunidade Rusape remonta ao início do século XX, neste caso, 1903. Este grupo acredita que a maioria dos povos Africano são descendentes das 12 tribos perdidas de Israel e que a maioria dos africanos têm práticas hebraicas.

Para aqueles que desejam se informar melhor sobre os hebreus da africa e o pós-exilio para as Américas o livro From Babylon to Timbuktu (da babilonia para o Timbuctu) escrito por Rudolph Windsor, nos revela detalhes incriveis sobre essa peregrinação e a escravidão do povo escolhido de YAH, da Africa para as Américas.

E o livro The Valley of dry bones(O vale de ossos secos) desse mesmo autor explica as condições espirituais e fisica que os israelitas se encontram nas terras de sua captividade segundo a profecia de Ezequiel 37

3 comentários:

Sergio disse...

Você perdeu minha atenção logo no primeiro parágrafo, ao afirmar que os sefaradim não são judeus de verdade... É simplesmente hilário!

L.H.Carvalho disse...

Gostei muito da reportagem,parabéns! Pelo que entendi, o povo semítico denominado de hebreu não são os judeus de hoje, está correto?
abs

Humberto Ferreira disse...

Obrigado querido amigo!

Infelizmente, por questões raciais; político-religiosas; autoridade x servidão, ou relação de poder e submissão, nosso sofrido continente africano foi suprimido da História...

"Africa era conhecida pelos seus ancestrais como Akebu-lan (berço da humanidade) terra-mãe ou jardim do Edén.""".

Um abraço e sinta-se sempre bem á vontade para sugerir, criticar, opinar, afinal de contas o blog Em Busca do Jesus Histórico é mantido por vocês.